Japão revela pela primeira vez nome de presos executados

As três execuções elevam para nove o número de enforcados este ano; número é o maior no país desde 1977

Efe,

07 de dezembro de 2007 | 05h10

Três presos foram executados nesta sexta-feira, 7, em Tóquio e Osaka, e pela primeira vez o governo japonês anunciou as identidades dos condenados à morte, informou o Ministério da Justiça. Os condenados, que morreram enforcados, foram Seiha Fujima, de 47 anos; Hiroki Fukawa, de 42; e Noburo Ikemoto, de 74. O Japão até aqui se limitava a anunciar o número de executados, sem informar suas identidades. Mas o sigilo era alvo de críticas no país e no exterior. As execuções foram as primeiras aprovadas pelo atual ministro da Justiça, Kunio Hatoyama. Quando assumiu o cargo, ele sugeriu que a pena fosse aplicada automaticamente, sem a necessidade de aprovação de seu Ministério. Fujima foi condenado à morte por ter assassinado cinco pessoas entre 1981 e 1982. Fukawa matou duas, em 1999, e Ikemoto, três, em 1985. A seção japonesa da Anistia Internacional protestou energicamente contra as execuções, que elevaram a nove o número de enforcados no Japão este ano. O número é o maior no país desde 1977.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãoexecução de presos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.