Japão se compromete a cortar importação de petróleo iraniano

O Japão prometeu nesta quinta-feira tomar medidas concretas para cortar as importações de petróleo iraniano depois que o secretário do Tesouro norte-americano, Timothy Geithner, fez um pedido de apoio durante uma visita ao país.

REUTERS

12 de janeiro de 2012 | 07h50

Os Estados Unidos aumentaram as sanções contra a República Islâmica em resposta ao conturbado programa nuclear iraniano.

Geithner recebeu positivamente a cooperação do Japão, um sinal encorajador para a política externa norte-americana, depois que a China recusou o apoio às sanções dos Estados Unidos, que têm como objetivo atingir os rendimentos iranianos com o petróleo. O produto é vital para a economia do país, de 74 milhões de habitantes.

O Irã poderá ter de enfrentar cortes nas importações de petróleo por parte da China, Japão e Índia, os três maiores compradores, que juntos correspondem a mais de 40 por cento das exportações de petróleo bruto do país.

A União Europeia, um grande comprador, já se comprometeu a banir as importações do petróleo iraniano.

O ministro das Finanças do Japão, Jun Azumi, disse que o petróleo bruto iraniano representa 10 por cento das importações totais do produto pelo país.

(Por Stanley White e Tetsushi Kajimoto)

Tudo o que sabemos sobre:
JAPAOIRAPETROLEO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.