Japão se compromete a manter plano para base dos EUA em seu território

Ministro japonês assegurou que mesmo com a mudança de gabinete, acordo para a mudança da base aérea de Futema seja cumprido

Efe,

22 de junho de 2010 | 03h33

TÓQUIO - Fontes oficiais informam que nesta terça-feira, 22, o ministro japonês de Exteriores, Katsuya Okada, confirma à secretária de Estado americana, Hillary Clinton, que o novo gabinete mantém o compromisso de situar uma base militar americana na província de Okinawa, sul do Japão.

Um porta-voz do Ministério japonês de Exteriores indicou que Okada manteve na segunda-feira à noite uma conversa telefônica com Hillary e assegurou que o governo se esforçará para que a mudança da base aérea de Futenma, em Okinawa, aconteça conforme o acordo fechado no final de maio pelo chefe de governo anterior, Yukio Hatoyama.

O acordo contempla a mudança de Futenma da cidade de Ginowan a outra localidade menos povoada de Okinawa.

Foi esse pacto o que obrigou Hatoyama a renunciar, já que durante sua campanha eleitoral em 2009 ele tinha se comprometido a tirar Futenma de Okinawa ou até mesmo do Japão.

Hatoyama foi substituído por Naoto Kan, de seu mesmo partido e que fez algumas mudanças no gabinete, embora tenha mantido Okada na pasta de Exteriores.

Está previsto que EUA e Japão feche novos detalhes sobre a mudança de Futenma no final de agosto.

Tudo o que sabemos sobre:
Japão, plano, base, EUA, território

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.