Japão solicita reunião urgente do Conselho de Segurança

Governo norte-coreano diz que teste nuclear subterrêneo teria sido realizado "com sucesso"

Efe,

25 de maio de 2009 | 01h40

O Japão solicitou uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU, após o anúncio da Coreia do Norte de que promoveu com sucesso um segundo teste nuclear na manhã de hoje (início da madrugada desta segunda-feira, no horário de Brasília), conforme relato da agência local Kyodo.

 

 

Veja também:

linkEstação russa registra terremoto na Coreia do Norte

 

 

 

A Coreia do Norte disse ter realizado "com sucesso" e "segurança" seu segundo teste nuclear, depois de outubro de 2006, conforme a agência norte-coreana KCNA.  "Conforme solicitado os nossos cientistas e técnicos, a nossa República desenvolveu com êxito um teste nuclear subterrâneo em 25 de maio, como parte de medidas para reforçar energia nuclear de auto-defesa ", disse a KCNA.

 

O porta-voz do ministro, Takeo Kawamura, disse que o Japão "não vai tolerar" testes nucleares da Coreia do Norte e que vai agir. Quando no mês de abril passado, a Coreia do Norte lançou um foguete de longo alcance, o governo japonês pediu uma reunião de urgência do Conselho de Segurança da ONU, que, após muitos dias de debates, condenou o teste norte-coreano em 13 de abril.

 

Nesse dia, o Conselho de Segurança condenou unanimemente o lançamento de um foguete de longo alcance da Coreia do Norte e instou o regime comunista a não repetir ações desse tipo. Isto resultou em 29 de abril de ameaças da Coreia do Norte realizar o seu segundo teste nuclear e lançar um míssil intercontinental.

 

Rússia
 

Após a solicitação do Japão, o Conselho de Segurança das Nações Unidas volta a se reunir nesta segunda-feira, para examinar a situação criada depois do segundo ensaio nuclear efetuado pela Coreia do Norte, disse o ministro de Assuntos Exteriores da Rússia, Serguéi Lavrov. O chefe da diplomacia russa expressou a preocupação de Moscou pelas "informações sobre a República Democrática Popular da Coreia ter detonado um artefato nuclear".

 

Estados Unidos
 
 

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, qualificou de "ameaça à paz e à segurança internacionais" o novo teste nuclear, seguido da prova com um míssil, efetuado pela Coreia do Norte. Em comunicado, o presidente americano argumentou que "o perigo que as atividades ameaçadoras da Coreia do Norte representam merecem uma ação (de resposta) por parte da comunidade internacional".

 

 

Texto ampliado às 5h52 para acréscimo de informações

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.