Japão suspende comércio de carne produzida em Fukushima

TÓQUIO - O governo japonês ordenou a suspensão da comercialização de carne bovina produzida na província de Fukushima nesta terça-feira, 19, depois de descobrir que gado alimentado com palha de arroz contaminada com altos índices de césio radioativo foi distribuído por todo o país.

RIE ISHIGURO E YUKO TAKEO, REUTERS

19 de julho de 2011 | 10h13

 

A descoberta aumentou as preocupação dos consumidores sobre a segurança alimentar após os incidentes de contaminação em vegetais, chá, leite, frutos do mar e água decorrentes do vazamento radioativo na usina nuclear de Fukushima, atingida por um tsunami, a 240 quilômetros de Tóquio.

Apesar de Fukushima produzir apenas 3 por cento da carne bovina japonesa, parte da carne contaminada foi distribuída para grandes supermercados em Tóquio e nos arredores da capital, e servido a estudantes do ensino fundamental em Yamagata, no noroeste de Fukushima.

"O bife de Fukushima era vendido no meu supermercado local. Quando lembro disso, fico preocupada com as crianças e os idosos", disse Saori Yamada, uma moradora de Tóquio.

"É uma daquelas coisas que você não considera muito até acontecer perto de você."

Mais de 500 cabeças de gado que se alimentaram de palha contendo césio radioativo foram enviadas para outras partes do Japão, segundo inspeções preliminares realizadas nas fazendas da região. A palha, que foi deixada nos arrozais mesmo após o vazamento radioativo da usina de Fukushima, desencadeado pelo terremoto e tsunami de 11 de março, continha índices de césio até 500 vezes o nível considerado seguro.

O governo ainda está realizando testes para determinar se a própria carne está contaminada, e pediu a todas as províncias do Japão para conferir se suas fazendas usaram o alimento contaminado.

"O governo está fazendo o máximo possível para descobrir para onde a carne das vacas afetadas foi enviada e realizar testes nas carnes que forem encontradas", disse o chefe de gabinete, Yukio Edano, em coletiva de imprensa.

Especialistas afirmam que as implicações para os consumidores da contaminação dos alimentos ainda não estavam claras.

O governo de Fukushima, que já inspecionou mais de 33 mil cabeças de gado, pretende inspecionar todas as 4 mil fazendas de gado da província até 3 de agosto.

(Reportagem de Rie Ishiguro e Yuko Takeo)

Tudo o que sabemos sobre:
JAPAOCARNEFUKUSHIMA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.