Japão suspende distribuição de carne de Fukushima

O governo do Japão ordenou hoje a suspensão de todos os embarques de carne bovina de Fukushima para outras províncias japonesas até que a segurança do produto possa ser confirmada, disse a agência de notícias Kyodo News.

GABRIELA MELLO, Agência Estado

19 de julho de 2011 | 11h49

Autoridades se esforçam para ampliar as investigações em fazendas e distribuidores do país, a fim de determinar a dimensão da suposta contaminação de gados que foram alimentados com forragem de arroz contendo altos níveis de radiação, acrescentou a agência.

A decisão foi tomada após a descoberta de que 650 vacas suspeitas de terem sido contaminadas com césio radioativo - provavelmente proveniente da usina nuclear de Daiichi, depois do terremoto e do tsunami de 11 de março - foram enviadas para ao menos 38 das 47 províncias do Japão.

Para impedir uma contaminação ainda maior, a força-tarefa do governo central para o desastre nuclear ordenou que Fukushima suspenda os embarques de carne bovina de todas as partes da província até que as condições para a remoção da proibição sejam cumpridas.

Ainda que a província de Fukushima - da qual 554 vacas suspeitas de contaminação foram distribuídas - já tenha solicitado aos seus produtores que voluntariamente suspendam o transporte de carne bovina, a força-tarefa concluiu que é necessário interromper os embarques até que os preparativos para inspeções estejam em vigor e a segurança do produto possa ser constatada.

Também hoje, o primeiro-ministro japonês, Naoto Kan, se desculpou pelo problema de contaminação, dizendo: "Eu me sinto responsável por não conseguir impedir que isso acontecesse e eu lamento extremamente."

Separadamente, o secretário-chefe do gabinete, Yukio Edano, pediu desculpas por não ser capaz de garantir que todos os produtores fossem informados da notificação do governo para não utilizar ração animal armazenada ao ar livre. Edano afirmou que os criadores afetados serão compensados pelos danos econômicos e psicológicos decorrentes dos últimos acontecimentos, e que o governo também pagará pelas perdas resultantes da queda nos preços da carne bovina.

O Ministro de Agricultura do Japão, Michihiko Kano, disse que o governo ampliará o alcance de uma pesquisa emergencial sobre o uso de forragem de arroz para cobrir todos os produtores do país, após níveis elevados de césio radioativo terem sido encontrados em Fukushima e outras dez províncias. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãocrise nuclearcarneFukushima

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.