Japão também está ao alcance

O Japão, a menos de 1 mil quilômetros de distância por água e um alvo frequente da retórica norte-coreana, também poderia ser atingido por mísseis de curto e médio alcances da Coreia do Norte. Em números, o Exército de Pyongyang parece formidável, muito maior do que o do Sul, tanto em pessoal quanto em equipamento. O contingente de 1,2 milhão de soldados do Norte é quase o dobro dos 640 mil militares sul-coreanos, que são apoiados por 26 mil soldados americanos instalados no país. Contudo, as capacidades de Pyongyang não são o que os números sugerem. Em razão da falta de recursos, a empobrecida Coreia do Norte deixou de investir no Exército convencional para uma eventual batalha e tem se concentrado no desenvolvimento de armas nucleares e mísseis balísticos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.