Japão ultrapassa a marca dos cem condenados à morte

Um tribunal japonês condenou nesta segunda-feira à morte Osamu Okura, de 37 anos, por ter matado um companheiro de trabalho em 2004 e sua mulher em 2005, segundo informou a agência local "Kyodo".Com a sentença de morte de Okura, o número de condenados à pena capital aumentou para 101 no Japão, uma das duas únicas democracias do mundo (a outra são os Estados Unidos) a não abolir esta punição.Osamu Okura, que era funcionário de uma loja, esfaqueou até a morte um companheiro de trabalho em 16 de setembro de 2004. Um ano mais tarde, em 9 de setembro de 2005, Okura matou sua mulher depois que ela pediu o divórcio. No dia seguinte, mutilou seu corpo e enterrou seus restos em diversos locais.Em 2006, o país japonês emitiu um número recorde de 44 sentenças à morte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.