Japão usa água doce para resfriar reatores, diz AIEA

Equipes de emergência japonesas estão utilizando água doce, e não mais água do mar, para resfriar os reatores da usina nuclear Daiichi, em Fukushima, informou hoje a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA). A usina foi danificada pelo terremoto seguido de tsunami que ocorreu no país em 11 de março.

AE, Agência Estado

26 de março de 2011 | 17h52

Os funcionários que trabalham na usina passaram a usar a água doce, menos corrosiva que a do mar, informou em comunicado a AIEA, sediada em Viena. "A AIEA foi informada pelas autoridades japonesas de que a água doce está agora sendo usada, em vez da água salgada, para resfriar os reatores nas unidades 1, 2 e 3 da usina nuclear em Fukushima", afirmou a agência. Segundo ela, com isso há menos depósitos de componentes e menos corrosão do sal nos equipamentos.

O terremoto de magnitude 9,0 danificou bastante a usina, localizada no nordeste do Japão. Há uma operação em andamento para lidar com o problema. Os níveis de radiação aumentaram na água do mar perto da usina e há o temor de que barras de combustível nuclear possam estar vazando. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãonuclearreatoresresfriamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.