Japonês admite ter divulgado vídeo de incidente com a China

Um membro da Guarda Costeira do Japão admitiu nesta quarta-feira que colocou na internet o vídeo de uma colisão entre uma traineira chinesa e barcos japoneses de patrulha, o que pode complicar os esforços de reaproximação entre os dois governos.

REUTERS

10 de novembro de 2010 | 10h48

O incidente de setembro, próximo a ilhas disputadas por Tóquio e Pequim no mar do Leste da China, causou uma crise diplomática.

O vídeo aparentemente mostra o barco pesqueiro - cujo capitão foi preso - investindo contra as embarcações de patrulha japonesas, e isso pode provocar uma reação da opinião pública japonesa contra a China.

O vídeo de 44 minutos foi colocado no YouTube. A imprensa local disse que o responsável é um militar de 43 anos - nenhum outro detalhe foi divulgado. Na semana passada, o governo chinês manifestou preocupação com o vídeo.

O chefe de gabinete do governo japonês, Yoshito Sengoku, disse que o vazamento do vídeo por parte de um funcionário público, se for verdade, é algo grave. O primeiro-ministro Naoto Kan declarou que, como chefe do governo, também tem responsabilidade sobre o caso.

(Reportagem de Isabel Reynolds, Kiyoshi Takenaka e Yoko Nishikawa)

Tudo o que sabemos sobre:
JAPAOCHINAVIDEO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.