Japoneses cercam parlamento contra energia nuclear

Centenas de manifestantes levando velhas e luzes formaram uma corrente humana em volta do prédio do parlamento japonês em Tóquio neste domingo como forma de protestar contra a energia nuclear após a crise de Fukushima no ano passado, informou a AFP.

PAULA MOURA - PAULA.MOURA@GRUPOESTADO.COM.BR, Agência Estado

29 de julho de 2012 | 14h04

O mar de pessoas iluminou o anoitecer no ato mais recente de um movimento que vem ganhando força no país. Os manifestantes pediram que o Japão abandone a energia nuclear. O movimento tem sido estimulado pela decisão recente do primeiro-ministro japonês, Yoshihiko Noda, de retomar o uso da energia nuclear após a paralisação das usinas.

Segundo organizadores, o número de manifestantes totalizou 200 mil, mas a polícia disse à mídia local que eram entre 10 mil a 20 mil pessoas.

Muitos usavam máscaras de gás e roupas protetoras similares às usadas no trabalho de descontaminação na usina de Fukushima. Eles marcharam pela capital até o parlamento tocando tambores amarelos com símbolos de lixo atômico.

Noda defendeu a retomada da energia nuclear citando a escassez de energia após o país suspender a atividade de seus 50 reatores.

O sentimento antinuclear no Japão também levou à formação do Greens Japan, uma organização política para angariar candidatos com uma agenda ambiental para as eleições parlamentares. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
FukushimaYoshihiko Nodareatores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.