Japoneses começam eleição para renovar parte do Senado

Há 437 candidatos, e as urnas permanecerão abertas nas 47 províncias do Japão até as 20h

EFE

10 de julho de 2010 | 21h00

Os japoneses começaram, às 7h de domingo (19h de sábado, em Brasília), a votar nas eleições parciais para o Senado, no que é considerado o primeiro teste nas urnas para o Partido Democrático (PD), no poder desde agosto.

 

Nas eleições, serão renovadas, como acontece a cada três anos, a metade das 242 cadeiras da câmara alta da Dieta, o parlamento japonês. Cerca de 100 milhões de maiores de 20 anos estão convocados a votar.

 

Há 437 candidatos, e as urnas permanecerão abertas nas 47 províncias do Japão até as 20h (8h).

 

O mandato de um senador japonês é de seis anos e, a cada três, metade da Casa é renovada. O PD tem, desde julho de 2007, 116 cadeiras e possui uma maioria de 122 graças aos aliados do Novo Partido do Povo (NPP).

 

O PD enfrenta as urnas pela primeira vez desde que arrasou nas eleições gerais de agosto passado, que puseram fim a mais de meio século de domínio do conservado Partido Liberal Democrático (PLD), agora na oposição.

 

Estima-se que cerca de dez milhões de japoneses já votaram de maneira antecipada, um sistema que foi implantado no Japão em 2003.

 

As primeiras projeções da imprensa serão divulgadas uma vez fechados os colégios, enquanto os primeiros resultados oficiais estarão disponíveis depois da meia-noite, hora local.

 

Segundo as últimas sondagens, o governo do PD perderia seu atual controle do Senado, o que minaria o trâmite legislativo apesar de os governistas contarem com maioria absoluta na câmara baixa, vital na aprovação do orçamento e na escolha do primeiro-ministro.

 

As pesquisas apontam que o PD e seus aliados do minoritário NPP conseguiriam cerca de 50 senadores, com o que não ficariam com a maioria.

Tudo o que sabemos sobre:
japãoeleiçãopdpld

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.