Japoneses vêem pequena Aiko pela primeira vez

A pequena Aiko, com pouco mais de uma semana de idade, deixou hoje a clínica do Palácio Imperial do Japão com seus pais, o príncipe Naruhito, de 41 anos, e da princesa Masako, de 38 anos. A menina é primogênita do casal. Masako, com o bebê nos braços, e o marido foram mostrados pelas emissoras de televisão enquanto se despediam de médicos e enfermeiras na porta do hospital. Depois entraram numa limosine e se dirigiram para sua residência no centro de Tóquio.Aiko, que dormia enrolada em uma manta branca, foi acomodada entre os pais, numa cadeirinha para carros. Masako e Naruhito abriram as janelas da limosine e, sorrindo, acenaram durante os 2,5 quilômetros de percurso. Nas ruas, milhares de pessoas agitavam bandeiras do sol nascente.Segundo informou a corte imperial, a menina engordou 34 gramas desde seu nascimento no dia 1º e está pesando 3,136 quilos. A medida permanece a mesma: 49,6 centímetros. Tanto ela quanto sua mãe passam bem. Na segunda-feira passada, Masako amamentou a filha pela primeira vez.Na sexta-feira, o imperador Akihito escolheu os dois nomes da neta. A cerimônia faz parte da tradição japonesa. Ele designou como primeiro nome Aiko, ou "menina que ama" em japonês - "ko" significa menina, e "ai" é o ideograma de "amor". O bebê recebeu também do imperador o nome oficial de Toshinomiya, ou apenas "toshi" (em japonês, respeito). O sufixo "miya" é atribuído a todos os príncipes e princesas.Aiko poderá se tornar herdeira do Trono de Crisântemo, caso as regras da sucessão sejam alteradas. Atualmente, apenas homens podem chefiar a monarquia japonesa. No entanto, desde 1965 nascem apenas mulheres na linha direta de sucessão. Como a princesa Masako já tem 38 anos e deu à luz após oito anos de casamento, o nascimento de Aiko intensificou as discussões sobre a mudança das leis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.