SAUL LOEB/AFP
SAUL LOEB/AFP

Jeb Bush responsabiliza Obama e Hillary por expansão do Estado Islâmico

Republicano afirma que decisões do governo nos últimos anos permitiram um crescimento descontrolado da ameaça terrorista

O Estado de S. Paulo

12 de agosto de 2015 | 09h03

LOS ANGELES - O pré-candidato republicano para as eleições presidenciais de 2016 nos Estados Unidos, Jeb Bush, culpou na terça-feira, 11, o presidente Barack Obama e a pré-candidata democrata, Hillary Clinton, pelo crescimento do grupo terrorista Estado Islâmico (EI).

Em um discurso realizado na Biblioteca Ronald Reagan em Simiy Valley, ao leste de Los Angeles, Jeb Bush criticou Obama: "Nem sequer chama por seu nome uma das mais graves ameaças que enfrentamos hoje e que vem dos terroristas islâmicos".

O ex-governador da Flórida afirmou que as decisões do governo nos anos recentes permitiram o crescimento descontrolado da ameaça terrorista e ressaltou que é falsa a informação de que "a maré da guerra esteja baixando", como afirmou Obama em outubro de 2011 ao anunciar a retirada das tropas do Iraque.

"A realidade é que o radicalismo islâmico foi se expandindo como uma pandemia a todo o Oriente Médio, através da África, em partes da Ásia e inclusive nas nações do Ocidente, recrutando seguidores na Europa e nos EUA", enfatizou o irmão do presidente George W. Bush, que iniciou a guerra no Iraque.

O pré-candidato disse que estaria disposto a considerar um pequeno aumento de tropas americanas e uni-las com forças iraquianas. “Neste momento, temos cerca de 3.500 soldados e fuzileiros navais no Iraque, e mais podem ser necessários”.

Em um salão lotado, Jeb Bush recebeu frequentes aplausos e ovações durante seu discurso, apoiado pela Fundação Presidencial Ronald Reagan. O republicano prometeu "dar a volta" na situação e "começar reconstruindo as forças armadas dos EUA".

“Uma estratégia vencedora para o Estado perante qualquer ameaça para nós e nossos amigos depende em última instância da força militar que assegura a influência americana", disse.

O candidato republicano também responsabilizou Hillary Clinton por seu papel quando foi secretária de Estado. "E onde estava a secretária de Estado, Clinton, em tudo isto?", questionou Jeb Bush, culpando-a em seguida por tomar as mesmas medidas que Obama.

Em resposta, a campanha de Clinton realizou uma teleconferência para jornalistas com seu assessor de política externa, Jake Sullivan, e defendeu a democrata. "A questão fundamental não é quantas vezes o avião pousa no aeroporto. É quão intensa e eficaz é o envolvimento que leva ao progresso", disse Sullivan.

Jeb Bush é o segundo colocado em várias enquetes recentes, atrás apenas de Donald Trump, /EFE e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.