Jerusalém Oriental tem o menor índice de eleitores

O menor índice de comparecimento às urnas nas eleições para o parlamento palestino nesta terça-feira foi registrado em Jerusalém Oriental, segundo informações do Comitê Eleitoral da Autoridade Palestina. Até às 13 horas, 40% dos eleitores registrados em todos os distritos dos territórios palestinos haviam comparecido às urnas.Na Faixa de Gaza foi registrado o índice mais alto de comparecimento - 50% - e em Jerusalém Oriental apenas 17%. O maior posto de votação na cidade se encontra na agência do correio na Rua Salah Adin.Falta de privacidade A delegação de observadores brasileiros, chefiada pelo emissário extraordinário para o Oriente Médio, embaixador Affonso Celso de Ouro Preto, visitou o posto no início da manhã.Segundo os observadores, a votação no local estava transcorrendo normalmente, porém eles afirmaram achar estranho o fato de que no correio não havia cabines e os eleitores tinham que votar em público, sem privacidade alguma.Durante o dia foram se aglomerando mais e mais pessoas em frente ao correio e no local se criou, gradualmente, uma manifestação contra a ocupação israelense. Várias pessoas levantavam cartazes contra a anexação de Jerusalém Oriental por Israel e contra as restrições impostas pelas autoridades israelenses ao número de residentes que podem votar na cidade. Ativistas do partido governista Fatah, distribuíam panfletos e carregavam cartazes apesar da proibição à propaganda perto das urnas. Policiais israelenses se encontravam nas redondezas, porém a maioria deles manteve certa distância do posto de votação. Extrema direita O comandante da polícia israelense em Jerusalém, Ilan Franco, havia manifestado a preocupação com possíveis tentativas por parte de grupos palestinos de sabotar as eleições, e a polícia advertiu para o perigo de atentados por parte do Jihad Islâmico, que é contra a realização das eleições.Durante a votação, porém, foi a extrema direita israelense que deu mais trabalho à polícia de Jerusalém. Um grupo de deputados e ativistas tentou entrar a força no posto de votação do correio localizado perto do portão de Jaffa, na cidade velha.Os ativistas tentavam impedir a realização das eleições porque, segundo eles, a votação para o parlamento palestino em Jerusalém significa um desafio à "soberania exclusiva" de Israel na cidade. Alguns ativistas que se recusaram a sair do local foram presos pela polícia. As urnas em Jerusalém Oriental devem ser fechadas às 19 horas (hora local) e em seguida serão transportadas para o Comitê Eleitoral da Autoridade Palestina, em Ramallah, onde será realizada a apuração.De qualquer maneira, o resultado da votação em Jerusalém Oriental não deve ter impacto significativo no resultado geral.Segundo o acordo entre Israel e a Autoridade Palestina, apenas 5 mil dos 105 mil eleitores de Jerusalém podem votar na cidade, e somente 4 mil se registraram.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.