Jiang segue como estrela

O presidente Hu Jintao foi o primeiro a entrar no Grande Salão do Povo, na abertura do 18.º Congresso do Partido Comunista. Entretanto, o maior frisson quem causou foi Jiang Zemin, ex-presidente do país, que não ocupa uma posição formal de poder na China por uma década. A abertura do encontro validou sua posição no topo da política chinesa. "Ele ainda representa muito o poder por trás do trono", afirmou a especialista Willy Lam, que escreveu um livro sobre o líder. Na transição chinesa, Jiang emergiu como articulador cuja influência traz novas incertezas e pode solapar as tentativas da nova elite de promover reformas. Parte de sua motivação, no entanto, é pessoal. Ele quer ter certeza de que seus dois filhos, ambos empresários bem-sucedidos, serão protegidos em um momento em que muitos estão de olho nas maiores fortunas do país.

O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2012 | 02h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.