Jihad adere ao fim de cessar-fogo

O grupo militante palestino Jihad Islâmica aderiu à decisão anunciada mais cedo pelo grupo Hamas de abandonar o acordo do cessar-fogo, declarado pelos dois grupos e pela Autoridade Palestina em 29 de junho. A decisão foi declarada por meio de uma nota enviada por fax à agência Associated Press. O fim do cessar-fogo é consequência do ataque de retaliação feito esta manhã pelo exército de Israel na Faixa de Gaza, o qual matou o líder do Hamas Ismail Abu Shanab e seus dois guarda-costas. O primeiro-ministro palestino, Mahmoud Abbas disse que a investida de Israel pode prejudicar os esforços palestinos para reprimir os grupos militantes. A Autoridade Palestina declarou que terá de rever seu acordo de cessar-fogo com Israel diante da atitude "totalmente irresponsável" de matar uma alta autoridade do Hamas. "Tomaremos uma nova série de medidas, as quais nunca foram vistas antes", disse Elias Zananiri, ministro do Interior palestino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.