Jihad anuncia morte de dois soldados em Gaza

O Exército israelense nega a morte de seus homens pelos islâmicos

EFE

14 Julho 2007 | 07h02

A Jihad Islâmica afirmou neste sábado que matou dois soldados israelenses durante uma incursão do Exército de Israel no antigo aeroporto da Faixa de Gaza. As Brigadas de al-Quds, braço armado do movimento, informaram em comunicado que seus atiradores de elite mataram dois soldados que tinham entrado no aeroporto. O terminal parou de funcionar a partir da segunda Intifada, em setembro de 2000. O Exército israelense não confirmou ainda o incidente. Segundo testemunhas palestinas, cerca de 15 tanques, escavadeiras e veículos blindados do Exército israelense entraram hoje na zona de Rafah, no sul da Faixa de Gaza, perto de dois importantes postos na fronteira com o Egito, e se posicionaram ao redor e dentro do antigo aeroporto. Desde que o grupo islâmico Hamas tomou o controle de Gaza, há um mês, o Exército israelense tem intensificdo as suas incursões na faixa territorial. Na quinta-feira, um soldado israelense morreu numa operação no campo de refugiados de al-Bureij, no centro de Gaza. Exército israelense nega a morte dos dois soldados O Exército israelense negou que dois de seus soldados tenham sido abatidos pela Jihad Islâmica, como tinha afirmado o braço armando do movimento palestino em comunicado. Uma porta-voz militar confirmou que o Exército israelense está realizando uma "operação de rotina" na região de Rafah, no sul da faixa, mas negou que algum de seus soldados tenha sido atingido por tiros das milícias. Na quinta-feira, um soldado israelense morreu numa operação no campo de refugiados de al-Bureij, no centro de Gaza.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.