Jihad ataca dois assentamentos israelenses

Militantes palestinos lançaram morteiros contra o assentamento judeu de Gadih, ao sul da Faixa de Gaza, no começo da manhã de hoje. Durante a madrugada, uma bomba explodiu perto de Nir Am, um vilarejo israelense nas imediações de Gaza e um outro artefato explodiu no jardim de uma casa no assentamento de Netzer Hazani, também na Faixa de Gaza. Nenhuma pessoa ficou ferida. Em uma mensagem à Associated Press, a facção islâmica Jihad assumiu a autoria dos dois primeiros atentados.Os tanques israelenses, entretanto, voltaram a invadir território palestino, disparando bombas e usando metralhadoras, informaram funcionários palestinos, que pediram para não ser identificados. Os oficiais disseram que as forças israelenses avançaram 900 metros, permaneceram atacando por 15 minutos e então recuarão. O Exército de Israel disse que o ataque foi feito para prevenir que palestinos lançassem morteiros contra civis israelenses.Tropas e tanques israelenses invadiram áreas palestinas mais de uma dúzia de vezes no último mês a fim de atacar supostos militantes e derrubar casas, prédios e bosques usados como cobertura para eles. Os assaltos receberam duras críticas dos palestinos e da comunidade internacional, e as forças israelenses vinham se retirando toda vez depois de poucas horas.O governo de Israel, entretanto, começa a dar sinais de que vai apoiar as resoluções do relatório emitido pela Comissão Mitchell, liderada pelo ex-senador americano George Mitchell. De acordo com essa comissão, novos assentamentos judeus não devem ser construídos na região.Segundo o semanário Makor Rishon, os líderes israelenses vão apenas ampliar os assentamentos já existentes. Para o jornal, isso isso signifca que as construções serão suspensas. Raanan Gissin, um aliado do primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, não desmentiu o Makor Rishon.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.