Jihad Islâmica diz ter 70 suicidas preparados para agir

O grupo terrorista palestino Jihad Islâmica, que assumiu a autoria do atentado suicida que deixou nove mortos e cerca de 40 feridos nesta segunda-feira em Tel Aviv, afirmou que tem uma "unidade de mártires" formada por outros 70 suicidas preparados para agir em diferentes pontos de Israel. Abu Ahmed, porta-voz da Jihad Islâmica em Gaza, disse que o jovem que cometeu o atentado desta segunda-feira em um restaurante fast-food de Tel Aviv é o primeiro de uma "unidade de mártires" recentemente formada e integrada por homens e mulheres. Esta unidade foi treinada para atacar em diferentes áreas dentro de Israel, "em resposta à campanha de ataque israelense contra o povo palestino". O porta-voz elogiou a reação do governo da Autoridade Nacional Palestina (ANP) do movimento islâmico Hamas, que considerou o atentado como um legítimo ato de autodefesa do povo palestino, e criticou o presidente da ANP, Mahmoud Abbas, por ter condenado o ato. A denúncia de Abbas é parte de uma política que ficou antiquada, disse o porta-voz. "O que aconteceu hoje em Tel Aviv é um ataque legítimo baseado em todas as leis e convenções, assim como em todas as regras religiosas, e ninguém pode condenar esse ato de resistência", ressaltou.

Agencia Estado,

17 Abril 2006 | 19h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.