Jihad Islâmica pede boicote à eleição palestina

O grupo radical palestino Jihad Islâmica conclamou seus seguidores a não tomar parte das eleições, tornando-se o segundo grupo a boicotar o pleito. Mohammed al Hindi, líder da organização em Gaza, disse que o grupo decidiu não apresentar candidato próprio no pleito de 9 de janeiro, que escolherá o sucessor de Yasser Arafat, e também não apoiará ninguém. Ele pediu que os palestinos evitem votar, porque a disputa não será realmente livre."O povo palestino, que vive sob ocupação, quer uma eleição real, uma eleição livre e justa numa terra livre e liberta. Não podemos dizer que a próxima eleição será assim", declarou. A recusa da Jihad Islâmica em reconhecer a eleição vem um dia depois de outro grupo radical, o Hamas, ter convocado um boicote.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.