Jihad Islâmica reitera estratégia de atacar só em Israel

A Jihad Islâmica reiterou neste domingo, 25, sua estratégia de lançar ataques apenas no território de Israel, ao negar que seu braço militar planeje atacar turistas israelenses noSinai (Egito). "Nosso movimento não tem intenções de realizar ações fora da Palestina ocupada (Israel), embora os alvos sejam sionistas (israelenses)", disse em Gaza o líder do grupo, Khaled al-Batsh, emresposta a informações publicadas por um jornal árabe. O jornal Asharq Al-Awsat informou que forças de segurança egípcias detiveram semana passada no Egito três membros da Jihad Islâmica que levavam cinturões explosivos. Segundo o jornal, que cita fontes de segurança egípcias, outros quatro detidos pensavam em atacar em Israel após terem chegado à Península do Sinai, vindos da Faixa de Gaza, através de túneis subterrâneos. As forças de segurança egípcias detiveram cerca de 60 pessoas, entre palestinos e beduínos, suspeitos de planejarem atentados, segundo o jornal, editado em Londres. No mês passado, um terrorista suicida da Jihad Islâmica detonou uma carga de explosivos que levava presa ao corpo em uma padaria da localidade litorânea de Eilat, no sul de Israel. O militante, que provinha de Gaza, pode ter chegado a Eilat através do Egito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.