AFP
AFP

Jihadista que agiu em igreja da Normandia havia ameaçado em vídeo ‘destruir a França’

Abdel Malik Petitjean gravou uma mensagem dirigida a François Hollande e a Manuel Valls, em que pede aos ‘irmãos muçulmanos’ para atacarem os países aliados da coalizão internacional que combate o Estado Islâmico

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de julho de 2016 | 10h31

CAIRO - Um dos jihadistas que atacou um igreja da Normandia na terça-feira havia ameaçado em um vídeo "destruir a França" e encorajou os muçulmanos a atacar os países da coalizão de países que combatem o grupo jihadista Estado Islâmico (EI) na Síria e no Iraque.

Em uma breve gravação divulgada pela agência de notícias Amaq, vinculada ao EI, Abdel Malik Petitjean se dirige em francês ao presidente da França, François Hollande, e ao primeiro-ministro, Manuel Valls.

"O tempo mudou. Vocês vão sofrer o que sofrem nossos irmãos. Vamos destruir o seu país. Vamos levantar a bandeira da religião e a palavra de Alá", assegura.

As palavras de Petitjean são uma chamada aos potenciais jihadistas para que sigam seu exemplo com o objetivo de conseguir "a vitória do Islã".

"Dirijo uma mensagem a todos os irmãos muçulmanos: ataquem seus países, ataquem os aliados da coalizão", afirmou Petitjean, justificando as ações pelos bombardeios da aliança internacional contra os extremistas.

O jihadista, que intercala algumas frases em árabe, pede aos muçulmanos que despertem, não escutem "o diabo" e abram seus olhos à realidade dos bombardeios, ao mesmo tempo em que insiste que praticar ataques é fácil.

"Temos tudo o que é preciso. Saiam com uma faca, é tudo o que é necessário para atacá-los, matá-los em massa", acrescenta. / EFE

Veja abaixo: O segundo terrorista da igreja é identificado na França

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.