REUTERS/Social Media
REUTERS/Social Media

Jihadista que aparece em novo vídeo do EI pode ser britânico que fugiu para Síria em 2014

Fontes oficiais confirmaram que Siddhartha Dhar é o 'foco das investigações'; irmã disse ter reconhecido a voz dele no vídeo 

O Estado de S. Paulo

05 Janeiro 2016 | 10h03

LONDRES - O principal combatente do último vídeo do Estado Islâmico (EI), que mostra a execução de cinco homens acusados de espionar para a Grã-Bretanha, pode ser o britânico Siddhartha Dhar, informou nesta terça-feira, 5, a rede BBC.

Fontes oficiais não identificadas confirmaram à rede pública que Dhar, um hindu convertido ao Islã que em 2014 fugiu para a Síria, é o "foco das investigações" sobre a identidade do jihadista, que na gravação repreende o primeiro-ministro David Cameron, em inglês com sotaque britânico.

"Muitas pessoas estão convencidas de que é ele", disseram as fontes à BBC, apesar de por enquanto não haver confirmação formal do governo. De acordo com a emissora, o suspeito também é conhecido como Abu Rumaysah. Ele tem quatro filhos e mora em Walthamstow, no leste de Londres.

Dhar (ou Rumaysah) fugiu para a Síria em 2014 com sua família quando estava em liberdade sob fiança, após ter sido detido em setembro do mesmo ano, quando tinha 31 anos, por incitar o terrorismo como parte do grupo proscrito Al-Muhajiroun.

A irmã dele, Konika Dhar, declarou para a imprensa britânica que quando escutou o áudio da voz do jihadista acreditou que podia ser o irmão, mas ao ver o vídeo teve "dúvidas". A estudante de direito, que perdeu contato com o irmão há mais de um ano, pediu ao governo que faça mais para desradicalizar os britânicos absorvidos pela ideologia jihadista.

No vídeo do EI divulgado no domingo 3 também aparece uma criança de cerca de cinco anos, o qual o londrino Henry Dare identificou como seu neto Issa Dare, filho de sua filha Grace Dare - que se chama agora Khadijah -, uma britânico-nigeriana convertida ao Islã que viajou para a Síria em 2013, com 22 anos.

Henry Dare disse britânico ao Channel 4 que o menino, que na filmagem fala de "matar os infiéis", está sendo usado como "propaganda" e "escudo". Quanto a sua filha, ele disse que ela "tem que voltar e enfrentar o ocorrido". /EFE

Para entender
Substituto de Jihad John
Substituto de Jihad John

O novo integrante do EI com sotaque britânico que aparece no vídeo divulgado domingo 3 é considerado o substitudo do britânico Mohammed Emwazi, conhecido como "Jihadi John".  Emwazu foi um dos terroristas mais procurados do mundo por aparecer em vários vídeos realizando a decapitação de ocidentais pelo EI e morreu em novembro em um ataque dos EUA na Síria. "Jihadi John" nasceu no Kuwait em 1988 e apareceu nos vídeos do EI que mostravam os assassinatos dos jornalistas americanos Steven Sotloff e James Foley, do voluntário americano Abdul-Rahman Kassig, dos voluntários britânicos David Haines e Alan Henning, e do jornalista japonês Kenji Goto. Emwazi chamou a atenção do serviço secreto britânico em agosto de 2014, quando o EI divulgou um vídeo no qual aparecia encapuzado e decapitando James Foley, sobretudo, por seu forte sotaque londrino. Na Grã-Bretanha, Emwazi estudou em um colégio secundário do norte de Londres e depois cursou informática na Universidade de Westminster, na capital britânica. Aparentemente, o terrorista deixou o país em 2013 para viajar à Síria e se juntar ao EI. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.