Jimmy Carter irá a Pyongyang tentar libertar americano, diz jornal

Homem foi condenado a 8 anos de trabalhos forçados por entrar ilegalmente na Coreia do Norte

AP,

23 de agosto de 2010 | 22h46

SEUL- O ex-presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter irá viajar à Coreia do Norte em breve para tentar libertar um prisioneiro americano, reportou o jornal de Política externa dos EUA em seu site nesta segunda-feira, 23.

 

Carter fará a viajem como um cidadão comum sem acompanhamento de oficiais americanos para garantir a libertação de Aijalon Mahli Gomes, 30. O ex-presidente, no entanto, pode viajar com sua esposa, de acordo com o jornal que citou fontes próximas.

 

Gomes, que está cumprindo uma pena de oito anos de trabalhos forçados após ser culpado de entrar ilegalmente em território norte-coreano, tentou cometer suicídio, de acordo com a agência estatal de notícias do país.

 

O Departamento de Estado dos EUA afirmou na semana passada que uma equipe de quatro pessoas foi a Pyongyang em agosto para tentar soltar o americano, sem sucesso.

 

Gomes ensinou inglês em Seul por cerca de dois anos antes de viajar à Coreia do Norte em janeiro de 2009. Ele também era membro ativo de igrejas protestantes, de acordo com amigos.

 

Provavelmente ele cruzou a fronteira com o Norte em apoio ao missionário cristão norte-americano Robert Park, que entrou no país no Natal para promover a conscientização sobre os abusos contra os direitos humanos, segundo um ativista que ajudou a organizar a viagem de Park.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.