Jimmy Carter pede mais pressão contra Sharon

O ex-presidente norte-americanoJimmy Carter acusa o primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon,de querer negar aos palestinos o direito à existência política epediu ao governo dos Estados Unidos que exerça mais pressãosobre Israel para obter uma "paz justa". Em um artigo assinado por ele e publicado neste domingo pelo jornal norte-americano The New York Times, o presidente queobteve o acordo de paz entre Israel e Egito em 1979 citouexatamente este modelo como exemplo: é preciso ceder territórioem troca de reconhecimento diplomático. Carter pediu aos países árabes que alcancem acordos similarescom Israel. "Existe um caminho para a paz: a resolução 242 daOrganização das Nações Unidas, em sua última expressão coma proposta do príncipe herdeiro saudita Abdullah", escreveu oex-presidente norte-americano. Carter também acredita ser necessário haver acordos sobre ostatus de Jerusalém e o problema dos refugiados de guerrapalestinos. Na opinião do ex-chefe de Estado, Jerusalém Oriental deveriater uma administração conjunta, que permitisse acesso aoslugares sagrados. Com relação ao direito do retorno dos refugiados, Carterobserva que isto pode ser resolvido com a permissão darepatriação de um número limitado de refugiados e uma garantiade "indenização justa" aos demais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.