Arquivo/Reuters
Arquivo/Reuters

Jimmy Carter viaja à Coreia do Norte para tentar libertar preso americano

Ex-presidente dos EUA tentará interceder por homem condenado a oito anos de trabalhos forçados

Reuters e AP,

24 de agosto de 2010 | 21h34

O ex-presidente Jimmy Carter deixou os Estados Unidos e está a caminho da Coreia do Norte para tentar a libertação de um norte-americano preso naquele país, informou a agência de notícias sul-coreana Yonhap na noite desta terça-feira, 24 (manhã de quarta pelo horário local).

Carter, de 85 anos, e sua esposa embarcaram em um avião particular, e não militar, informou a Yonhap, citando uma fonte da diplomacia norte-americana.

Uma autoridade dos Estados Unidos havia dito que Carter viajaria à Coreia do Norte como parte de uma missão humanitária particular para tentar a libertação de Aijalon Mahli Gomes, condenado  pelo país comunista a oito anos de trabalhos forçados por ter entrado ilegalmente no país.

O prisioneiro tentou cometer suicídio por desespero, de acordo com a agência estatal de notícias do país.

O Departamento de Estado dos EUA afirmou na semana passada que uma equipe de quatro pessoas foi a Pyongyang em agosto para tentar soltar o americano, sem sucesso.

 

Gomes ensinou inglês em Seul por cerca de dois anos antes de viajar à Coreia do Norte em janeiro de 2009. Ele também era membro ativo de igrejas protestantes, de acordo com amigos.

 

Provavelmente ele cruzou a fronteira com o Norte em apoio ao missionário cristão norte-americano Robert Park, que entrou no país no Natal para promover a conscientização sobre os abusos contra os direitos humanos, segundo um ativista que ajudou a organizar a viagem de Park.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.