JIM WATSON / AFP
JIM WATSON / AFP

Joe Biden é oficialmente o candidato democrata à presidência dos Estados Unidos

Ex-vice-presidente americano garantiu os 1.991 delegados necessários para formalizar a candidatura

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de junho de 2020 | 00h40

O ex-vice presidente americano Joe Biden se tornou oficialmente o candidato democrata à presidência dos Estados Unidos nesta sexta-feira, 06. Ele vai enfrentar o presidente Donald Trump nas eleições em novembro. Em uma publicação no Twitter, Biden disse que garantiu os 1.991 delegados necessários para formalizar a sua candidatura. "Vou passar todos os dias lutando para conseguir o seu voto para que, juntos, possamos vencer a batalha pela alma dessa nação", disse ele na rede social.

A agência Associated Press e a CBS News projetaram que Biden ultrapassou o número de 1.991 delegados de que precisava para ser escolhido como o candidato na convenção anual do partido democrata. Dados de oito Estados ainda precisam ser computados. 

Biden garantiu esse número de delegados após as eleições primárias realizadas em sete Estados e no distrito de Columbia na quinta-feira, 4. Em um comunicado oficial, o agora candidato oficial disse que "foi uma honra competir ao lado de um dos grupos mais talentosos que o partido democrata já teve em disputa - e estou orgulhoso em dizer que iremos às eleições como um partido unido". 

"Vou passar todos os dias a partir de hoje até o dia 3 de novembro lutando para conseguir os votos de americanos de todos os lugares desse país para que, juntos, possamos vencer a batalha pela alma dessa nação e garantir que, ao reconstruirmos a nossa economia, todos estejam juntos", disse ele. 

Biden também diz no comunicado que esse é um período difícil na história dos Estados Unidos. "Donald Trump está com raiva, políticas divisórias não são a resposta para isso. O país clama por liderança. Liderança que possa nos unir. Precisamos de uma economia que funcione para todos - agora. Precisamos de empregos que deem dignidade - agora. Precisamos de justiça - e oportunidades iguais - para todos os americanos agora. Precisamos de um presidente que se importe em nos ajudar a nos restaurar - agora."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.