John McCain: situação no Afeganistão ficará mais difícil

O senador John McCain, ex-candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, afirmou hoje que a situação no Afeganistão ficará mais difícil antes de se tornar fácil, "assim como aconteceu no Iraque". McCain visitou a província de Helmand, no sul do país, onde ele diz que as forças da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) estão em um beco sem saída com os insurgentes.Ele visitou o Afeganistão junto com o senador Joe Lieberman e o senador Lindsey Graham, membros do Comitê de Serviços Armados do Senado. Os três também estiveram no Iraque, Índia e Paquistão nos últimos dias. Segundo Lieberman, o presidente eleito dos EUA, Barack Obama, pediu a McCain que relate para ele o que aprenderem na viagem.No sábado, os três senadores jantaram com o presidente afegão, Hamid Karzai, e seu gabinete. Eles também se encontraram com o general norte-americano David McKiernan, comandante das tropas dos EUA e da Otan no país, e com o novo general norte-americano de Helmand, onde tropas britânicas estavam estacionadas. McCain afirmou que está claro que houve progresso na parte leste do Afeganistão, mas que o sul do país - coração do movimento Taleban e maior região produtora de papoula do mundo - merece mais atenção. A violência no Afeganistão cresceu fortemente durante os dois últimos anos e 2008 foi o mais fatal para as tropas norte-americanas desde a invasão, em 2001, quando o governo Taleban foi atacado e retirado do poder após seu país ter hospedado o chefe da rede terrorista Al-Qaeda, Osama bin Laden.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.