"John" perde força e vira tempestade tropical

O ciclone "John", que chegou na sexta-feiraà península mexicana de Baja California como furacão de categoriadois, perdeu força e se transformou em uma tempestade tropical, apóscausar chuvas e danos materiais em sua trajetória rumo ao oceanoPacífico, disseram fontes oficiais. "John se transformou em tempestade tropical e continua em terrano estado de Baja California Sur (noroeste), onde ainda provocachuvas torrenciais", afirmou o Serviço Meteorológico Nacional doMéxico em um relatório emitido às 19h30 (em Brasília). A passagem do ciclone pela península provocou inundações edanificou vias, pontes, casas e outras infra-estruturas, mas nãohouve mortos, afirmou o chefe do serviço de Defesa Civil em BajaCalifornia Sur, José Gajón. Segundo Gajón, um homem que estava desaparecido foi resgatado porsocorristas e levado a um hospital onde se recupera dos ferimentosque sofreu ao ser arrastado por um rio. A chegada do ciclone, que hoje regrediu para a categoria um naescala Saffir-Simpson (que vai de 1 a 5), provocou fortes chuvas eventos na cidade de La Paz, capital de Baja California Sur, LosCabos, Loreto e outros localidades turísticas. "John", que tocou terra a na sexta-feira perto do balneário e LosCabos, se transformou em um furacão de categoria dois e obrigou maisde 5 mil moradores e turistas a passarem a noite em abrigos ehotéis, declarou à imprensa Audel Álvarez, funcionário do serviçoregional de Defesa Civil. Gajón e Álvarez disseram que, até o momento, não há registro demortes, contrariando versões da imprensa, que afirmou que doiscamponeses tinham morrido afogados em uma aldeia remota. Uma avaliação completa da situação será apresentada no domingo,quando se calcula que "John" já terá saído de terra firme comdestino ao oceano Pacífico. Após a chegada do furacão à península, as autoridades mantiveramo "alerta vermelho", restringiram a navegação marítima e fecharam osaeroportos da região. Além disso, as autoridades pediram aos moradores que respeitem asnormas preventivas e refugiem-se em abrigos de La Paz e Los Cabos. Segundo o Serviço Meteorológico Nacional do México, às 18h (deBrasília) o olho do furacão estava cerca de 85 quilômetros aooeste-noroeste de La Paz, cidade com cerca de 160 mil habitantes. O instituto informou que o ciclone se deslocava em direçãonoroeste a uma velocidade de 13 km/h, com ventos sustentados de 120km/h e rajadas de 155 km/h. Por causa da passagem do furacão, as autoridades mexicanasemitiram alertas para uma vasta região compreendida entre os estadosde Baja California Sur, Baja California, Sinaloa e Sonora. As chuvas e osventos causados pelo "Jonh" também afetaram osestados de Nayari, no litoral do Pacífico, Durango (oeste) eChihuahua (norte, que faz fronteira com os EUA).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.