Jordânia cancela visita de chanceler palestino

O governo da Jordânia cancelou nesta terça-feira uma visita ao reino do ministro palestino das Relações Exteriores, Mahmoud al-Zahar, alegando que ativistas do Hamas estariam contrabandeando mísseis e outras armas para dentro do país. A vista estava prevista para ocorrer na quarta-feira e o porta-voz do governo jordaniano, Nasser Judeh disse que a visita de Zahar foi adiada até segundo aviso. Segundo o porta-voz, "mísseis, explosivos e armas automáticas foram apreendidas nos últimos dias". "Ativistas do Hamas conseguiram contrabandear estas armas tão perigosas para dentro do país" e as armazenaram, disse Judeh. Ele se recusou a informar se os ativistas foram detidos. Em um comunicado separado à agência oficial PetraJudeh disse que os serviços de segurança da Jordânia observaram ativistas do Hamas explorando alvos em potencial na capital e em outras cidades. O porta-voz não deu maiores informações. A Jordânia, que assinou um tratado de paz com Israel em 1994, mantém uma linha dura contra militantes e já expulsou o líder do Hamas, Khaled Mashaal, por suas atividades. Amã e Cairo pediram ao Hamas que aceite o plano de paz árabe, que determina o total reconhecimento do Estado de Israel em troca da retirada total dos territórios anexados durante as guerra Árabe-israelense em 1967 e 1973. O Hamas recusou-se a reconhecer o Estado israelense.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.