Jordânia diz que posição de Israel é 'insustentável'

A chamada "primavera árabe" de revoltas populares que está varrendo o Oriente Médio e o Norte da África tornou a ocupação israelense dos territórios palestinos "insustentável", disse nesta sexta-feira o rei Abdullah II da Jordânia. O país de Abdullah II é uma das duas nações árabes que possuem tratados de paz com Israel. A outra é o Egito.

AE, Agência Estado

23 Setembro 2011 | 14h51

"O mar de mudanças que nós testemunhamos mudará para sempre a natureza das relações entre Israel e seus vizinhos. Os árabes estão pedindo para serem tratados como iguais e que Israel não seja tratado como uma ''exceção'', quando precisa prestar contas à lei internacional e suas obrigações", afirmou o monarca. A Jordânia assinou seu tratado com Israel em 1994.

"A inflexibilidade da posição de Israel nas negociações a respeito da questão dos assentamentos e do direito dos palestinos a um Estado é insustentável", disse Abdullah II em uma palestra na Universidade de Colúmbia em Nova York.

"O que é necessário, talvez, é uma ''primavera na política israelense'' que libertará seus políticos da mentalidade de cerco e os levará a se engajarem com seus vizinhos como iguais". Abdullah II fez as declarações logo antes do presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, entregar o pedido para adesão à Organização das Nações Unidas (ONU), apesar da oposição de Israel e dos Estados Unidos.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.