Jordânia e Iêmen oferecem tropas ao Iraque, sob condições

A Jordânia e o Iêmen ofereceram enviar soldados ao Iraque, em uma importante mudança de política que poderia encorajar outros países árabes e muçulmanos a ajudar o governo interino, apoiado pelos Estados Unidos, e restaurar a segurança no Iraque. O Iêmen analisa a possibilidade de enviar tropas ao Iraque caso haja uma solicitação formal do novo governo, disseram, extra-oficialmente, funcionários do Ministério de Relações Exteriores iemenita. Eles frisaram que os soldados só serão enviados se houver mandado da ONU. O país é o segundo do mundo árabe a oferecer tropas. Ontem, o rei Abdullah II da Jordânia afirmou estar disposto a participar de uma força de paz na nação vizinha, mas apenas sob a égide da ONU. "Diga-nos de que modo podemos ajudar e terá 110% de nosso apoio", foi a resposta que Abdullah disse que daria ao governo iraquiano.O ministro das Relações Exteriores do Iraque, Hoshyar Zebari, um curdo, já avisou que o Iraque não aceitará, sob nenhuma circunstância, a presença de tropas de países vizinhos em seu território.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.