Haim Zack/EFE
Haim Zack/EFE

Jordânia e Israel fecham acordo de US$ 900 milhões para projeto no mar morto

Projeto construirá usina de dessalinização e duto ligando o Mar Vermelho ao Mar Morto

O Estado de S. Paulo, O Estado de S. Paulo

26 de fevereiro de 2015 | 22h43


AMÃ - Os governos da Jordânia e de Israel assinaram um acordo patrocinado pelo Banco Mundial para construir uma usina de dessalinização no golfo jordaniano de Ácaba e um duto ligando o Mar Vermelho ao Mar Morto. O projeto custará US$ 900 milhões e levará três anos para ser concluído.

Funcionários jordanianos disseram que o projeto é crucial para fornecer uma fonte de água fresca para o reino, que enfrenta severa escassez de água, e para reviver o Mar Morto, cujo nível tem sido reduzido em um metro anualmente.

A usina de dessalinização produzirá pelo menos 80 milhões de metros cúbicos de água anualmente. Israel comprará 40 milhões de metros cúbicos e o restante será usado na Jordânia.

De acordo com o ministro de Água da Jordânia, Hazem al Nasser, o duto levará 300 milhões de metros cúbicos de água anualmente do Mar Vermelho ao Mar Morto. Tanto Israel quanto a Jordânia têm SPAs e resorts à beira do Mar Morto, cuja lama também abastece a indústria cosmética dos dois países. A ideia de ligar os dois mares tem mais de um século.

Segundo o acordo, o governo israelense também liberará para a Jordânia 50 milhões de metros cúbicos de água do Mar da Galileia, a maior reserva de Israel, em meio ao compartilhamento de água estipulado nos acordos de paz de 1994.

Os palestinos, que há tempos reclamam sobre as restrições israelenses à construção de uma nova instalação hídrica e de Israel bombear ilegalmente água de seus poços artesianos na Cisjordânia, também receberão água da usina de dessalinização, disse o ministro jordaniano. O projeto começou a seguir em frente dois anos atrás, quando o Banco Mundial determinou que era possível usar água do Mar Vermelho para abastecer o Mar Morto depois de anos de estudos. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
JordâniaIsraeldessalinização

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.