Jordânia executa 2 milicianos por assassinato de diplomata

A Jordânia executou neste sábado dois supostos militantes da rede extremista Al-Qaeda pelo assassinato de um diplomata americano em Amã. O líbio Salem bin Suweid e o jordaniano Yasser Freihat foram enforcados antes do amanhecer na penitenciária de Swaqa Jail, cem quilômetros ao sul da capital Amã. Trata-se do primeiro caso na Jordânia de execução de militantes suspeitos de laços com a Al-Qaeda. A dupla foi condenada à morte pelo assassinato do diplomata americano Laurence Foley em 28 de outubro de 2002. O mando do crime foi atribuído a Abu Musab al-Zarqawi, apontado como líder do grupo extremista Al-Qaeda no Iraque.

Agencia Estado,

11 Março 2006 | 18h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.