Jordânia executa dez homens por envolvimento com terrorismo

Esta é maior execução em massa desde o início da ofensiva contra o Estado Islâmico

O Estado de S.Paulo

04 de março de 2017 | 05h44

AMÃ - A Jordânia executou neste sábado, 4, dez homens envolvidos com crimes de terrorismo, incluindo responsáveis por ataques mortais contra turistas, forças de segurança jordanianas e um escritor local.

Esta foi a maior execução em massa desde que a Jordânia deu início à ofensiva contra extremistas do Estado Islâmico, há dois anos. O país faz parte da coalizão liderada pelos Estados Unidos contra os terroristas que atuam na Síria e no Iraque.

Os homens foram executados na prisão de Swaqa, na região central da Jordânia, informou o porta-voz do governo, Mohammed Momani, à agência estatal Petra.

Outros cinco prisioneiros foram executados por causa de outros crimes, incluindo estupro.

Momani disse que os homens executados estavam envolvidos em cinco diferentes incidentes, como um ataque a bomba contra a embaixada jordaniana no Iraque, em 2003, e o tiroteio que matou o escritor Nahed Hattar. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.