Jordânia indicia árabes por conspiração contra EUA e Israel

Um promotor militar indiciou 11 árabes - alguns deles com supostas ligações com a rede extremista Al-Qaeda - por conspiração para atacar alvos americanos e israelenses na Jordânia que culminaram no assassinato de um diplomata dos Estados Unidos no ano passado.Os 11 homens - quatro detidos e sete à solta - serão julgados pela Corte de Segurança do Estado no fim do mês, disse uma fonte dos serviços jordanianos de segurança à Associated Press.Os homens - de nacionalidade líbia, síria, palestina e jordaniana - podem ser sentenciados à morte se forem considerados culpados por conspirar para cometer crimes que culminaram na morte, no ano passado, do diplomata americano Laurence Foley, de 60 anos.Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.