Jordânia intensifica ataques aéreos contra Estado Islâmico

Além da Síria, Amã também está atacando alvos no Iraque, segundo declarou o ministro das Relações Exteriores jordaniano

O Estado de S. Paulo

05 de fevereiro de 2015 | 12h36

(Atualizado às 20 horas)

AMÃ - Jatos de combate jordanianos realizaram novos ataques aéreos contra redutos do Estado Islâmico, afirmaram as Forças Armadas do país nesta quinta-feira, 5, um dia depois de o rei Abdullah II ter prometido travar uma "dura" guerra contra os militantes, que controlam partes do Iraque e da Síria. 

Como parte da nova campanha, a Jordânia também está atacando alvos no Iraque, disse nesta quinta-feira o ministro das Relações Exteriores jordaniano, Nassar Judeh. A Jordânia faz parte de uma coalizão militar liderada pelos Estados Unidos que ataca alvos do Estado Islâmico nos dois países desde o ano passado. Até agora, sabia-se que aviões jordanianos realizavam ataques apenas na Síria. 

O rei Abdullah II prometeu intensificar o combate ao Estado Islâmico depois de os militantes terem queimado vivo um piloto jordaniano numa jaula e terem distribuído as imagens nesta semana. Nesta quinta-feira, o rei fez uma visita de condolências à família do piloto, tenente Moaz al-Kasasbeh, na vila em que ele vivia, no sul da Jordânia. 

Abdullah disse que a resposta jordaniana "será dura porque esta organização terrorista não está apenas lutando contra nós, mas também contra o Islã e seus valores puros".

Em comunicado divulgado nesta quarta-feira, ele prometeu atingir os militantes "duramente, bem no centro de seus redutos".

Em Washington, lideranças do Congresso pediram o aumento do valor da ajuda militar norte-americana ao reino. Atualmente, os Estados Unidos fornecem US$ 1 bilhão anualmente à Jordânia, em assistência econômica e militar. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.