Jordânia se uniu à campanha contra Hamas, diz porta-voz do grupo

Governo da Jordânia se uniu à campanha internacional contra o movimento islâmico Hamas, afirmou nesta terça-feira um porta-voz dessa organização na Cidade de Gaza. As autoridades jordanianas "se uniram ao coro da campanha internacional contra o movimento e o povo palestino", afirmou o porta-voz do Hamas, Sami Abu Zuhri. Além disso, Abu Zuhri condenou nesta terça-feira as declarações do porta-voz do Governo jordaniano, Nasser Jouda, denunciando que o Hamas recebeu ordens de sua liderança na Síria para cometer ataques contra a Jordânia. "Rejeitamos as acusações jordanianas contra o movimento, porque são injustas e infundadas. Trata-se de uma acusação pessoal contra o movimento Hamas que não se pode aceitar", disse Abu Zuhri. O porta-voz acrescentou que "estas mentiras e posturas de um país como a Jordânia nunca conseguirão isolar o movimento, mas sim aqueles que as pronunciam". Em declarações ao canal de televisão por satélite catariano Al Jazira, Jouda afirmou que as autoridades jordanianas haviam detido recentemente membros do Hamas que planejavam ataques na Jordânia. O porta-voz jordaniano afirmou que foi apreendida na semana passada uma carga contrabandeada de armas, e os que foram detidos em relação à descoberta confessaram que o Hamas estava prestes a realizar um ataque. As autoridades jordanianas divulgaram esta informação depois que o ministro das Relações Exteriores da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Zahar, anunciou a intenção de visitar a Jordânia em relação a estas acusações, e as autoridades do país se negaram a recebê-lo.

Agencia Estado,

25 Abril 2006 | 14h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.