Jordaniano mata filha por ´honra da família´

Um jordaniano matou sua filha de 17 anos com uma arma e se entregou à Polícia afirmando ter cometido o assassinato para manter a honra da família, disse um patologista jurídico nesta quinta-feira.O pai suspeitava que a filha mantinha relações sexuais e continuou a duvidar mesmo depois de uma autópsia mostrar que a garota era virgem, disse o patologista, que preferiu se manter anônimo por conta da sensibilidade da situação. O pai atirou quatro vezes na cabeça da filha em crime cometido nesta quinta-feira.As autoridades não revelaram os nome do pai, nem da vítima, nem mesmo da cidade onde moravam, apenas revelando que eles viviam em uma província no sul da Jordânia.A autópsia foi realizada no Instituto de Medicina Jurídica em Amman.Cerca de 20 mulheres são mortas por ano na Jordânia por conta de que muitos homens jordanianos consideram o sexo fora do casamento uma mancha na reputação da família. O governo do país tem enfrentado uma árdua batalha com o Parlamento para que possa lançar sentenças mais pesadas para este tipo de crime, conhecido por "assassinato pela honra".No entanto, legisladores conservadores vão contra sentenças para este tipo de crime, argumentando que levarão à promiscuidadeSegundo a lei da Jordânia, um homem que comete "assassinato pela honra" fica apenas seis meses na cadeia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.