Jordanianos vão às ruas e pedem renúncia de primeiro-ministro

Manifestações no mundo árabe são reflexo dos protestos da Tunísia e do Egito

Associated Press

28 de janeiro de 2011 | 11h24

AMÃ - Milhares de opositores jordanianos tomaram as ruas da capital do país nesta sexta-feira, 28, para pedir a renúncia do primeiro-ministro e protestando contra o desemprego e a alta dos preços.

 

Veja também:

link Internet e celulares são bloqueados no Egito

link Egito prende membros da oposição

especial A revolução que abalou o mundo árabe

mais imagens Os protestos no Egito e na Tunísia

blog  Gustavo Chacra: acompanhe a situação no Egito

 

É o terceiro dia de protestos no país. As manifestações são inspiradas nas marchas da Tunísia, que derrubaram o ditador Zine El Abidine Ben Ali, e do Egito, que ocorreram durante a semana pela deposição do presidente Hosni Mubarak.

 

Cerca de 3,500 ativistas da oposição se reuniram no centro de Amã com cartazes dizendo "Mandem os corruptos para o tribunal". A multidão denunciou as impopulares políticas do premiê Samir Rifai e gritava "Vá embora, Rifai. Os preços estão altos e os jordanianos estão furiosos". Protestos foram registrados em seis outras cidades depois das rezas do meio-dia, também pedindo a renúncia do premiê.

 

O rei Abdullah II prometeu reformas em uma lei eleitoral, que permitiria que o primeiro-ministro e os demais membros do gabinete fossem escolhidos pela população. A expectativa, porém, é que essas reformas não aconteçam e que esses cargos estratégicos sigam sendo apontados pelo rei.

 

Os manifestantes marcharam a gritaram "Em nome de Deus, o governo precisa mudar" e "O Corão é nossa Constituição, a jihad (guerra santa) é nosso caminho". Líderes dos manifestantes disseram que não se trata apenas de "trocar o primeiro-ministro". "Pedimos mudanças em como o país é administrado", disse um dos dirigentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.