Jornada eleitoral tem 2 mortos e vários ataques no Afeganistão

Dois homens foram mortos durante tiroteio com forças de segurança nos bairros de Kort e Naw, em Cabul

Efe,

20 de agosto de 2009 | 05h59

Pelo menos dois homens morreram nesta quinta-feira, 20, em um tiroteio com as forças de segurança em Cabul, em um dia de eleições presidenciais no Afeganistão, em que também houve três ataques com explosivos no norte e no sul do país.

 

Um policial informou que um grupo de homens armados protagonizou um tiroteio com as forças de segurança nos bairros de Kort e Naw, na capital.

 

No choque, dois homens foram mortos, um foi detido e os outros dois conseguiram escapar, segundo a mesma fonte. De acordo com uma testemunha, o tiroteio aconteceu em um prédio de três andares, situado perto de uma escola e em frente a uma delegacia, e os  corpos ainda permanecem ali. O incidente não foi confirmado pelo Ministério do Interior.

 

No norte do país, dois mísseis caíram esta manhã perto de um colégio eleitoral na cidade de Kunduz, capital da província homônima, como explicou uma fonte das forças de segurança, que disse que o ataque não deixou vítimas.

 

Também hoje, em plenas eleições, uma bomba explodiu perto de um quartel policial na província de Takhar (norte), informou o chefe da Polícia local, Ziauddin Mahmoodi.

 

Segundo ele, como consequência da explosão um muro do quartel foi destruído. Nessa mesma província, dois supostos terroristas suicidas que tentaram entrar em um colégio eleitoral foram detidos no distrito de Farkhar.

 

Outros dois mísseis atingiram os arredores da cidade de Kandahar (sul), um dos redutos dos talebans, como informou o governador provincial, Tooryalai Wesa, em declarações à imprensa após votar.

 

O governo afegão pediu na terça-feira aos jornalistas que não informassem sobre atos de violência para não prejudicar a participação nas eleições.

 

Cerca de 17 milhões de afegãos se registraram para votar nas eleições de hoje, cercadas de fortes medidas de segurança. O residente afegão, Hamid Karzai, que segundo as pesquisas parte como favorito para revalidar seu mandato, foi o primeiro a votar em um colégio eleitoral do centro de Cabul.

 

A insurgência taleban, que tem seus principais redutos no sul, pediu o boicote às eleições, ameaçou os eleitores e intensificou seus ataques nos últimos dias.

Tudo o que sabemos sobre:
Afeganistãoeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.