Jornais americanos pretendem reduzir pessoal

Como a receita de publicidade não mostra sinais de recuperação, os jornais de propriedade de empresas como a Gannett Inc. e a Knight Ridder, estão intensificando seus esforços para reduzir custos. O USA Today, jornal do Gannett, anunciou no início da semana a demissão de jornalistas pela primeira vez desde que foi fundado em 1982, segundo seu porta-voz, Steven Atkinson. O tamanho do corte - seis jornalistas de uma redação de 435, mais sete funcionários da usatoday.com - descumpre a promessa de uma empresa que há anos diz aos empregados de seus 99 jornais americanos que raramente demite. Tara Connell, porta-voz da Gannett, disse ontem que as decisões de reduzir pessoal foi tomada individualmente pelos jornais e que os executivos da Gannett não tinham traçado metas amplas de redução de custos. ?Nós não temos números corporativos definidos, não temos margens corporativas determinadas. Seria estúpido gerenciar dessa forma?, disse o executivo-chefe da empresa, Douglas H. McCorkindale, por meio de sua assessoria. Na Miami Herald Publishing Co., proprietária da Knight Ridder, os cortes anunciados esta semana foram mais extensos. Mas executivos do The Herald esperam conquistar níveis desejáveis de redução de pessoal por meio de um plano de demissão voluntária - mesma política atualmente adotada pelo The New York Times. O The Herald cortou 10% de seu pessoal, ou 180 funcionários de um total de 1900, segundo seu editor, Alberto Ibarguen.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.