Jornais e britânicos criticam relatório que inocenta Blair

A conclusão oficial da investigação sobre o suicídio do especialista em armas David Kelly não encerrou a polêmica sobre as razões da entrada da Grã-Bretanha na guerra contra o Iraque, e hoje foram feitas duras críticas ao relatório do juiz Brian Hutton, acusado de ter "vergonhosamente" beneficiado o governo do primeiro-ministro Tony Blair.Esta é também a opinião de muitos britânicos. Segundo pesquisa publicada pelo jornal Evening Standard, 56% dos entrevistados acham injusto que a BBC tenha recebido a maior parte da culpa, enquanto 49% consideram que o relatório é um acobertamento. Tanto de direita ou de esquerda, os jornais britânicos foram quase unânimes em criticar o relatório de Hutton, acusando-o de ter "abafado o caso em benefício do establishment"."Os jornalistas da BBC devem continuar investigando, fazendo perguntas indiscretas e criando problemas", destacou The Guardian (centro-esquerda). Por sua vez, o Daily Express (direita) destacou que o "silenciamento do caso pelo juiz Hutton deixa perguntas sem respostas"."O que aconteceu com o relatório do governo sobre o arsenal iraquiano que dizia que Saddam Hussein poderia usar suas armas químicas ou biológicas em 45 minutos? Onde estão essas armas de destruição em massa que nunca apareceram?", são algumas das questões não respondidas feitas pelo Daily Express.Para o tablóide The Mirror (trabalhista), Hutton prestou um desserviço à população. Já The Times e Daily Telegraph, ambos de centro-direita, apoiaram as conclusões de Hutton e pediram a saída do diretor-geral da BBC, Greg Dyke.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.