Jornais e TVs destacam alerta contra novos ataques

O alerta contra novos ataques terroristas tomou conta das manchetes de jornais americanos nesta quarta-feira aniversário de 1 ano dos ataques terroristas de 11 de setembro. Reportagens especiais perderam espaço para manchetes sobre o "código laranja", no qual o governo dos Estados Unidos avisa que o risco de novos atentados é "alto". O tablóide New York Post foi o único jornal nova-iorquino a ter outro assunto em sua primeira página. Em uma reportagem emocional, a publicação conta como está a vida de crianças e adolescentes da cidade que perderam o pai ou a mãe no World Trade Center. Seu concorrente, o Daily News, colocou na manchete que a nação está em alerta durante as celebrações de 11 de setembro, por causa de possíveis ameaças captadas por órgãos de inteligência. Na imagem, um lançador de mísseis que patrulha os céus de Washington, D.C. O New York Times diz que o aniversário dos ataques terroristas inclui réquiem, patrulhas aéreas e momentos de silêncio. Em outra reportagem, a publicação destaca o clima de preocupação neste dia solene. Em sua edição online, o jornal mais importante dos Estados Unidos afirma que Nova York ainda é Nova York, "em dor ou glória", em uma matéria sobre a recuperação da cidade. O popular USA Today também dá destaque ao "código laranja" de alerta e publica uma extensa pesquisa sobre como os americanos estão mais preocupados e vigilantes, mais vulneráveis e unidos. O Washington Post, principal jornal da capital americana, chama atenção do risco de novo ataque terrorista em sua edição na internet. Na TV, a cobertura esteve centrada nesta manhã nos eventos oficiais no Ground Zero, como as bandas de policiais, bombeiros e paramédicos, com gaitas de fole e tambores, que saíram dos cinco distritos da cidade, a leitura dos nomes das 2801 vítimas, alguns minutos de silêncio e a participação das famílias das vítimas. Entrevistas como parentes dos mortos, sobreviventes e personalidades também tomaram conta dos programas matutinos, a partir das 5 horas. Nas emissoras de TV a cabo, a situação é diferente. Alguns canais específicos, como a Food Network, mostraram apenas imagens e música para "reflexão". Outras TVs, como as de esportes, exibiram apenas a bandeira americana e a frase United We Stand ou uma lista com os nomes das vítimas. Algumas emissoras pequenas transmitiram a programação das grandes redes. Uma das coisas que chamou mais atenção do público foi o "alerta alto" de ataques terroristas nas emissoras de notícias, como a CNN, Foxnews e MSNBC. No canto da tela, elas colocaram o tempo inteiro um símbolo sobre a possibilidade de novos ataques neste dia de luto. Veja nosso especialVeja o especial The New York Times-O Estado de S. Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.