Jornal aceita não publicar mais revelações sobre Buckingham

O tablóide britânico Daily Mirror concordou, hoje, em não publicar mais detalhes sobre a vida no Palácio de Buckingham, recolhidos pelo repórter que trabalhava como criado. A rainha Elizabeht II obteve uma interdição legal temporária no fim de semana, depois que o Daily Mirror editou uma série de reportagens do jornalista Ryan Parry, que conseguiu infiltrar-se no palácio com referências falsas. Advogados das duas partes disseram que o jornal concordava em não publicar mais matérias baseadas no trabalho de Parry e não distribuir as já publicadas através de agências de notícias. Elas saíram no Mirror enquanto o presidente George W. Bush hospedava-se no Palácio de Buckingham durante sua visita oficial à Inglaterra.As reportagens incluíam detalhes sobre os arranjos para o café da manhã da rainha, fotos dos quartos reais e relato das tarefas de Parry, entre elas, entregar chocolates nos apartamentos dos hóspedes, Bush e sua mulher, Laura.O advogado da rainha, Jonathan Sumption, argumentou que as reportagens eram ?uma altamente questionável invasão de privacidade, sem nenhum interesse legítimo?. Parry, que obteve o emprego de criado de libré sob seu nome verdadeiro mas usando referências falsas, assinou um documento comprometendo-se a manter confidenciais os assuntos internos do palácio quando começou a trabalhar.Richard Spearman, o advogado de Parry e do jornal, defendeu as matérias como ?peça clássica do jornalismo investigativo?, que expôs sérios lapsos na sistema de segurança. Mas, disse, ?o Mirror sente-se satisfeito por resolver o problema. Ele não quer uma batalha legal, longa e cansativa, com Sua Majestade?.O Mirror também concordou em ceder fotos e documentos coletados por Parry durante seus dois meses no serviço doméstico real e em pagar 25.000 libras (cerca de R$ 123.000) pelos custos legais da rainha.Sumption disse que a família real ?tem direito à privacidade em suas vidas pessoais? e tomará medidas legais contra qualquer um que não respeite os ?princípios comezinhos de cortesia?. O palácio anunciou que está tornando seus processos de contratação de pessoal mais rígidos e que o governo abriu investigações sobre a segurança da família real.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.