Jornal acusa embaixada de tirar brasileiro da Irlanda

Um brasileiro condenado a dois anos de prisão por ter mantido relações sexuais com uma menina de 14 anos fugiu da República da Irlanda graças à intervenção da embaixada brasileira no país, segundo uma reportagem publicada nesta quinta-feira no diário Irish Independent. Em julho do ano passado, segundo o jornal, o brasileiro Weldo Freitas Cavalcante foi condenado a dois anos de prisão por ter praticado sexo com Jamie Farrelly Maughan, que acabou morrendo em decorrência de uma overdose de ecstasy na casa de Cavalcante, na cidade irlandesa de Cavan.O brasileiro foi solto no dia 6 de janeiro. Quatro dias depois, continua o Irish Independent, ele embarcou para São Paulo com um passaporte de emergência e passagem fornecida pela embaixada brasileira em Dublin.Na audiência de investigação da morte da menor na quarta-feira, uma funcionária do serviço nacional de imigração da Irlanda afirmou que o passaporte do brasileiro estava retido pelas autoridades e que ele deveria ser deportado de volta ao país já que é um criminoso condenado.O advogado da família da vítima, Larry Burke, classificou o caso de "desgraça nacional". Em outro jornal irlandês, o Irish Times, o pai da vítima criticou duramente a atuação do governo brasileiro.Um representante da embaixada brasileira afirmou ao jornal que o brasileiro não era obrigado a comparecer à audiência de quarta-feira e disse apenas que Cavalcante "não tinha nada a acrescentar a essa história e estava muito ansioso para ir para casa".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.