Jornal denuncia terroristas judeus na Cisjordânia

Pelo menos dois grupos terroristas judeus operam na Cisjordânia dispostos a atacar alvos civis palestinos, publicou, nesta sexta-feira, o jornal israelense Haaretz. Segundo o diário, o Shin Bet, serviço secreto de Israel, depois de vários meses de investigações, ainda não conseguiu "desbaratar" tais células terroristas. Em seu editorial, o Haaretz aconselha o Shin Bet a procurar os mandantes de atentados entre os rabinos extremistas da Cisjordânia, que, acredita-se, deram aos terroristas "autorização teológica" (para matar). Por sua parte, o rabino Shlomo Aviner, um dos maiores expoentes dos grupos judeus mais radicais em territórios palestinos, publicou uma "nota" religiosa, na qual denuncia severamente os ataques de colonos contra civis palestinos. São atribuídos a grupos judeus clandestinos pelo menos oito ataques contra veículos palestinos que já causaram a morte de seus pessoas e ferimentos em outras 20.

Agencia Estado,

26 Outubro 2001 | 17h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.