Jornal diz que EUA ameaçam cortar relações com presidente Abbas

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, ameaçou cortar suas relações com seu colega palestino, Mahmoud Abbas, caso ele defenda um Governo de união nacional com o Movimento Islâmico Hamas que não reconheça expressamente Israel, informa nesta segunda-feira o jornal "Al Quds", editado em Jerusalém Oriental.Abbas, presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP) e líder do movimento nacionalista Fatah, e o primeiro-ministro do Governo, Ismail Haniyeh, do Hamas, acordaram na semana passada em formar um Governo de unidade que, por divergências, ainda não foi concretizado.As negociações para constituir esse Governo, que tem o intuito de desbloquear a crise financeira em que se encontra o Governo de Haniyeh, ficaram paralisadas devido a essas divergências.O Hamas se nega a reconhecer o Estado judeu. Além disso, a comunidade internacional fez outras exigências para retomar a ajuda à ANP, que não paga os salários de seus funcionários há sete meses.As outras duas exigências impostas pelo Quarteto de Madri (EUA, União Européia, ONU e Rússia), são desarmar a milícia do Hamas e garantir que o novo Governo de unidade respeite os acordos prévios da Autoridade Nacional Palestina (ANP) e da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) com Israel.O presidente da ANP agendou para esta segunda uma viagem à Jordânia, de onde seguirá a Nova York para participar da inauguração do período anual de sessões da Assembléia Geral da ONU. Antes do fim do dia, Abbas deverá se reunir na sede da ONU com a ministra de Assuntos Exteriores de Israel, Tzipi Livni.Esta será a primeira reunião entre o presidente da ANP e um representante do Governo israelense nos últimos cinco meses.A posição de Israel em reconhecer o novo Governo palestino, cuja plataforma política e formação ainda são desconhecidas, coincide com as mesmas exigências do Quarteto de Madri.Segundo o "Al Quds", um emissário dos EUA advertiu o presidente Abbas que se ele defender um Governo de união nacional com o Hamas que não cumpra com essas três exigências, Washington também cortará seus vínculos com a ANP.A mensagem da Casa Branca pode ter sido transmitida ao líder palestino há dois dias pelo cônsul geral dos Estados Unidos em Jerusalém Oriental, Jacob Walles.Abbas, que compartilha das exigências da comunidade internacional, ainda não conseguiu impô-las ao Governo de Haniyeh e do Hamas.O líder palestino, interessado também em impulsionar o estagnado processo de paz com Israel a fim de estabelecer um Estado palestino na Cisjordânia e na faixa autônoma de Gaza, se reunirá nesta quarta-feira com o presidente Bush.Bush considera o Hamas uma "organização terrorista" aliada da Síria e do Irã, países que ele incluiu entre os componentes do "eixo do mal".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.