Jornal é proibido de relatar 'atos violentos'

VENEZUELA

, O Estado de S.Paulo

18 de agosto de 2010 | 00h00

Um tribunal local da Venezuela proibiu o jornal El Nacional, um dos principais do país, de publicar informações e imagens com conteúdo violento. De acordo com a decisão, estão banidos conteúdos com "sangue, armas, mensagens de terror e agressão física". Caso a publicação desrespeite a ordem, será sancionada com uma "multa milionária". O tribunal justificou a decisão afirmando que o conteúdo violento pode alterar o bem-estar psicológico de crianças e adolescentes. A decisão do tribunal foi tomada depois que dois promotores pediram uma "medida de proteção" como parte do processo aberto contra o jornal por ter publicado na capa, em uma edição da semana passada, uma foto na qual aparecem 12 cadáveres aglomerados em um necrotério de Caracas. A publicação, crítica ao governo, usou a foto em uma reportagem sobre o aumento da criminalidade na Venezuela. A direção do jornal afirmou que seguirá lutando para proteger a independência da imprensa no país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.